Warning: getimagesize(trinità 7.jpg) [function.getimagesize]: failed to open stream: No such file or directory in /web/htdocs/www.compagniamissionaria.it/home/class/init.php on line 1702
Logo
COMPAGNIA MISSIONARIA
DEL SACRO CUORE
una vita nel cuore del mondo al servizio del Regno...
Compagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia MissionariaCompagnia Missionaria
Dia do “Eis-me aqui” em Bolonha
Posted by Edvige Terenghi
Para nós, da Companhia Missionária, foi sempre importante celebrar a solenidade da Anunciação do Senhor, uma data que gostamos de recordar porque em 25 de Março de 1958 o Cardeal Giacomo Lercaro, na altura bispo de Bolonha, dava-nos a primeira aprovação do Estatuto e, sobretudo, porque o sim de Jesus e de Maria constituem na nossa espiritualidade o centro e o estilo da nossa vida.
Aqui, em Bolonha, está tornar-se uma tradição organizar por ocasião deste “DIA DO EIS-ME AQUI”, um pequeno Congresso, ou melhor, um dia para vivermos em fraternidade e amizade entre nós missionárias, familiares, família dehoniana, amigos e conhecidos que há muitos anos nos seguem.
Este ano encontrámo-nos no dia 24 de Março no Auditório do “Villaggio del Fanciullo”. O dia era primaveril e começa com as chegadas, rostos conhecidos, abraços, exclamações e sorrisos, o clima festivo que nos caracteriza quando nos encontramos; chegaram de Grottammare, de S. Antonio Abate, de Milão, de Monguelfo, Conegliano, Bolonha e também de Via Guidotti; em casa ficaram apenas Ana e P. Albino, confiados aos cuidados de Cecília.
Ana Maria dá-nos as boas-vindas “oficiais” e passa a palavra a P. Luca Zottoli scj ao qual foi confiada a reflexão da manhã sobre o tema “Venha o teu Reino”. Fazendo uma síntese rápida e pouco distanciada do acontecimento, devo dizer que foi grande a riqueza da reflexão e muitos e interessantes os motivos que emergiram.

P. Luca introduz sublinhando que este Reino é a paixão, a ideia fixa, a “mania” de Jesus; e se no coração do Evangelho está a oração do Pai-nosso, no Pai-nosso o coração é “venha a nós o vosso Reino”. O reino é algo que esperamos, que ainda não existe de maneira completa; esperar este reino caracteriza a nossa vida, ao mesmo tempo o reino já está presente, “é aqui e agora”, está operante, é dinâmico; e os seus destinatários são os pequenos, os pobrese os pecadores. Um outro aspecto a ter presente, falando do reino, é que não deve ser entendido como normalmente o pensamos nós, com as nossas categorias humanas; então tentemos substituir a palavra “reino” com “Deus reina”. Como é que Deus reina? Servindo, dando a vida, vencendo a morte. Quando é que Deus reina? Quando a mulher pecadora é perdoada, quando Zaqueu se converte, quando o paralítico caminha. Quando cada um de nós diz sim à oferta que Deus nos faz.
Jesus insere-se num contexto que esperava o advento do reino de Deus, um reino que melhorasse também a sorte do País sob a ocupação romana. O reino chega e é o próprio Jesus; comparado com os outros rabinos e mestres que eram escolhidos por quem os queria seguir, aqui é Jesus que escolhe e chama. “Eis-me aqui” pressupõe um chamamento da parte de Deus.
O coração da mensagem do reino é a revelação que Deus é Abba=papá; a palavra foi inventada pelo próprio Jesus; numa cultura do sacro que separa nitidamente o sacro do profano o ponto central, o ponto de força é a relação com o Pai. A parábola mais incómoda sobre o reino de Deus é a de Mateus 20, 1-16: os operários mandados para a vinha. É uma das parábolas que nos baralha saudavelmente e nos faz perceber que Deus não é como o queremos nós; para Deus existem os filhos, que para ele são todos primeiros.
Deus reina não respondendo ao mal com o mal, mas assumindo-o sobre si, que é a única maneira de o vencer; a morte é mais forte do que a vida, mas mais forte do que a morte é o Amor que restitui a vida de maneira mais forte e mais plena. O amor de uma pessoa que esteve dentro do mal oferece-nos a possibilidade de voltar a partir, qualquer que seja a situação em que nos encontremos, e esta possibilidade parte sempre d’Ele e não de nós; Ele entra com as portas fechadas. Deus Reina e nós damo-nos conta vendo os resultados que são, concretamente, as pessoam que mudam. Os apóstolos que eram pessoas medrosas e tímidas acabaram todos mártires.

A reflexão apresentada é verdadeiramente um válido instrumento para aprofundar e incarnar na nossa vida. Como sugestão fomos convidados a retomar nas nossas mãos a “Evangelii Nutiandi” de Paulo VI, ainda um texto muito válido para reflectir sobre a centralidade do Reino de Deus.
Dirigimo-nos depois para a capela do “Studentato” para participar na Eucaristia, momento central deste dia, momento privilegiado que reforça a comunhão com Deus e entre nós que estamos presentes aqui, com toda a CM espalhada pelo mundo, e aquela que nos acompanha do céu.

O almoço é um outro momento festivo vivido com simplicidade, e é também um momento para trocarmos notícias, recordar pessoas conhecidas e acontecimentos que vivemos juntos. Conversas ora sérias ora brincalhonas enquanto saboreamos o que nos é servido e, estando em Bolonha, não podem faltar...as lasanhas no forno!
Na parte da tarde escutamos uma intervenção de P. Marcelo scj que, com uma linguagem simpática e fluida, partindo do dia 4 de Novembro de 1912 faz um percurso através dos 100 anos da presença dos Dehonianos na cidade de Bolonha. São várias as iniciativas que este ano celebrarão este centenário, e é belo ver que também esta nossa iniciativa CM é assinalada e comparece no calendário deste centenário. Ao chegar a 1957, a palavra é dada à Lúcia Correia que continua com a história deste ramo CM, nascido daquela única árvore, que tem as suas raízes no carisma de Padre Dehon e que se alimenta e cresce indo beber à fonte da espiritualidade do Coração trespassado de Cristo. Também Giannina, que nestes dias regressou de Moçambique, se insere com um testemunho concreto sobre a sua e nossa presença em Moçambique.

Chegamos assim à hora das partidas e das saudações finais que levam cada um a voltar a casa, a regressar às nossas realidades quotidianas, onde somos chamados a responder concretamente “EIS-ME AQUI”. Como todas as experiências que se vivem o importante é como se vive o depois. E penso que termo-nos detido juntos, termo-nos carregado e reforçado na comunhão, nos ajudará sem dúvida a caminhar com mais força e entusiasmo na estrada...em direcção ao Reino.
Condividi l'articolo su:
Logo
COMPAGNIA MISSIONARIA DEL SACRO CUORE
Via A. Guidotti 53, 40134 - Bologna - Italia - Telefono: +39 051 64 46 472

Follow us on Facebook